29 de out de 2010

PROGRAMAÇÃO DO OVER12 (NOITE)

Uma orver12 de música, dança, performances, instalações, intervenções artísticas.

Djs - Discotecagem do Vinil, Jorge Choary e Cláudio Polary


INSTALAÇÕES DE GHUGA TÁVORA/PE

Pernambucano, designer, artista imaginautas. Criador de vários conceitos visuais de projetos importantes no Brasil , inclusive da V mostra SESC Guajajara de Artes. Apresenta-nos as instalações: “QUEM DERA SER UM PEIXE”, “COM TATO ÍNTIMO”, “QUE SERÁ, QUE SERÁ”


INTERVENÇÃO IN CONCRETUS: RAURICIO BARBOS/MA

Maranhense, artista plástico que trabalha com as técnicas de pintura mural, pintura sobre tela, pintura em corpos de atores, mimetizando-os ao espaço definido em local de grande circulação, utilizando a técnica de body painting.


20h  às 00h - PERFORMANCE: “O MOMENTO EM QUE” - com MARCUS VINÍCIUS /ES


O performer se isola para dentro de si mesmo para sentir o frio e o calor. Na escuridão, a visibilidade do corpo está tão presente que, por sua vez, é uma maneira de esconder e proteger. O que permanece escondido é o visível, ainda que possa parecer o contrário. Não fale, porque eu não te escuto. Sem gestos nem respostas esperadas. O tempo passa lentamente, quase um confronto com a vida. Instantes que desaparecem pouco a pouco até que tudo se dissolva e o corpo líquido comece a se apoderar de todos os cantos. Entre nesse espaço!


21h - PERFORMANCE - “A PROVA” com URIAS OLIVEIRA/ TAPETE CRIAÇÕES CÊNICAS / MA

De posse de um convite o espectador adentra a uma sala de jantar e será servido um banquete, a partir daí sensações e emoções serão provocadas no espectador.


21H –“ISSO, ISSO! ” com JOSUÉ REDENTOR - Núcleo Teatral Caixa de Fósforo - /MA

Várias divagações sobre as pessoas, homens de teatro e performance.

21H 30 - VEM CÁ CACURIÁ / com LEONIDAS PORTELLA/MA

A performance VEM CÁ CURIÁ revela a pré-expressividade em danças maranhenses. É um olhar sobre o movimento das raízes de nossa cultura. Vem Cá Curiá desconstrói a tradição, os costumes, as crenças, num diálogo entre corpo, espaço do povo, espaço do novo, sagrado, profano, simbólico, alegre, sensual, partindo de relatos, sons e imagens do Cacuriá, uma dança folclórica típica e cultural do Maranhão.

22H – “UM GESTO POR OUTRO “ com alunos do CACEM / DIREÇÃO: CÁSSIA PIRES/MA

Relata as aventuras de um viajante internacional, o Almirante Sepúlcro, demonstrando que o mais absurdo dos comportamentos pode ser considerado como requintada educação em civilizações distantes.

A ação se passa no Arquipélago Sem Nome, num dos salões mais distintos do lugar, a residência da Senhora Santa-Aqui. A partir daí, o que se vê é uma absurda salada de comportamentos que são considerados normais, numa recepção dada pela anfitriã aos seus convidados, tudo de acordo com as mais requintadas normas das etiquetas locais, com direito a cusparadas, penas no nariz como cortesia dos convidados a cumprimentos pegando no nariz.


22H 30 - “DÁDIVA DOS SÁBIOS” / com DELCYANE GARCÊS/MA

Trecho de um dos contos de ANNE FRANK, um ser que era diferente dos outros pela sua maneira de fazer as coisas. Sugere uma reflexão estética sobre a posição humana frente ao próximo.


23H - “CANTO PARA AS TRANSFORMAÇÕES DO HOMEM” com WILSON CHAGAS /MA

É uma intervenção corpore-poetico-teatral baseada em fragmentos do poema de mesmo nome de autoria de Moacir Félix, onde o artista afirma através de uma verve poética satírica, onírica e crítica que o mundo é “uma gaiola com asas” que internaliza no homem uma pseudo-liberdade.

E em versos descreve que a liberdade é um sonho em gestos, atitudes e desejos. Em seguida, o mesmo afirma que somos prisioneiros da ganância, do egoísmo, do medo, da humilhação e do ódio. E nesse périplo autofágico moderno, onde “se morre e se renasce” a todo instante, o autor conclui que “é inútil querer parar o homem”. Pois o Homem vive em seu moto-contínuo e nele, trilha uma estrada sem fim.


23H 30 - "PERFORMANCE POÉTICA"  com TRAMANDO TEATRO/MA


00H – “FÊNIX” com LENNOX DREANS – RUBER PRODUÇÕES/MA